Votação paralela: tribunal convoca representantes de partidos políticos e coligações

Votação paralela: tribunal convoca representantes de partidos políticos e coligações

votação_paralela

O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas deu início aos trabalhos voltados para o procedimento de auditoria dos sistemas contidos nas urnas eletrônicas, conhecido como votação paralela. Todas as atividades relacionadas ao procedimento são conduzidas por uma comissão presidida pelo juiz de Direito e membro da Corte, Dr. Henrique Veiga Lima.

No dia da eleição suplementar, em 6 de agosto, bem como no dia do segundo turno (se houver) os equipamentos sorteados serão instalados no Auditório Juiz Fausto Ferreira dos Reis (prédio Anexo) e monitorados por câmeras filmadoras e receberão votos lançados em cédulas, de forma aleatória, durante todo o dia, das 8h às 17h.

Desta feita, o presidente da Comissão, Dr. Henrique Veiga Lima, CONVOCA os representantes de partidos políticos e de coligações para comparecerem ao Pleno do Tribunal (3º andar do edifício-sede), no dia 17/07, às 10h, para tratar de assuntos relacionados aos procedimentos de auditoria.

Votação paralela. Entenda como funciona

Esse procedimento consiste em uma estratégia para verificar o funcionamento das urnas eletrônicas e garantir mais transparência aos procedimentos adotados pela Justiça Eleitoral. Serão sorteadas duas urnas: uma da capital e outra do interior, para uma votação simulada que será feita no dia 06 de agosto, em paralelo com a votação oficial.

Para isso, serão enviadas aos partidos políticos cédulas e papel com números dos candidatos, votos nulos, votos de legenda e votos em branco para o preenchimento. Os votos destas cédulas serão digitados nas urnas eletrônicas para, às 17h, a Comissão de Auditoria conferir se os votos do Boletim Eletrônico de Urna (BU) correspondem exatamente aos votos manuais.

O procedimento de auditoria vai ser acompanhado também por um representante do Ministério Público, a ser indicado pela Procuradoria Eleitoral, e por representantes dos partidos políticos.

O objetivo da cerimônia é demonstrar para a população e para os candidatos que todos os votos são contabilizados de forma correta. Por este motivo é essencial a efetiva participação dos partidos políticos.

A votação paralela será realizada no auditório Juiz Fausto Ferreira dos Reis (prédio anexo) e, havendo segundo turno, o processo de auditoria será repetido nas mesas condições anteriormente descritas.

Últimas notícias postadas

Recentes